Os últimos dois gols levados pelo Verdão não foram com o camisa 21 na meta. Com 46 jogos pelo clube, ele tem a melhor relação de gols sofridos por partidas na história

Weverton deve fazer nesta terça-feira, às 19h15, contra o San Lorenzo (ARG), sua décima partida na temporada. O goleiro é peça importante para o Palmeiras, que defende no estádio Nuevo Gasometro a liderança do grupo e 100% de aproveitamento após duas rodadas na Libertadores. Com 46 partidas pelo clube, o camisa 21 briga por um recorde na história alviverde.

De acordo com dados do clube, ele é o goleiro com a melhor média de gols sofridos – levando em conta aqueles que fizeram pelo menos 40 partidas. Weverton tem média de 0,54 gol/jogo e lidera com folga a estatística – Ivan (0,73 gol/jogo), Leão (0,74 gol/jogo), Raul Marcel (0,76 gol/jogo) e Zetti (0,8 gol/jogo) estão entre os mais próximos.

Ter menos jogos acaba jogando a favor do camisa 21. Leão, por exemplo, é o goleiro com mais jogos pelo Palmeiras (620) e mesmo assim tem uma média baixa. Velloso (455 partidas e média de 0,89 gol/jogo), Valdir Joaquim de Morais (482 partidas e 1,1 gol/jogo), Oberdan Catani (351 partidas e 1,16 gol/jogo), Sérgio (334 partidas e 1,25 gol/jogo) e Marcos (532 partidas e 1,28 gol/jogo) são outros atletas históricos na posição e entre as melhores médias.

Fernando Prass e Jailson, os concorrentes no elenco, também estão entre os menos vazados da história, mas atrás de Weverton.

Este número está muito ligado aos times que cada um destes goleiros tiveram. Marcos, por exemplo, viveu momentos ruins do Palmeiras na metade final de sua carreira, enquanto Weverton fixou-se basicamente a partir da chegada de Luiz Felipe Scolari.

E um dos grandes trunfos nesta terceira passagem do técnico gaúcho é a solidez defensiva. Ano passado, conseguiu a segunda maior sequência da história do Palmeiras sem sofrer gols (nove jogos) e a melhor defesa do Brasileiro. Já o início de 2019 foi o melhor em número de gols tomados em 30 anos.

Em 17 jogos na temporada, o Palmeiras sofreu apenas seis gols; os dois últimos, contra Mirassol e Novorizontino, aconteceram quando Prass estava na meta. A última vez que Weverton sofreu gols foi no dia 27 de fevereiro, no triunfo por 3 a 2 sobre o Ituano. Depois disso, ele fez mais quatro partidas, não foi vazado, e ainda foi novamente convocado para a Seleção Brasileira.