Tiros foram trocados quando a Polícia Militar fazia operação no local. TV flagrou PM dando cascudo em suspeito imobilizado; Batalhão de Choque anunciou punição.

Helicóptero da Polícia Militar sobrevoa a comunidade do Jacarezinho, no Rio — Foto: Reprodução/ TV Globo

Helicóptero da Polícia Militar sobrevoa a comunidade do Jacarezinho, no Rio — Foto: Reprodução/ TV Globo

Quatro pessoas morreram durante uma operação da Polícia Militar na comunidade do Jacarezinho, Zona Norte do Rio, na manhã desta segunda-feira (16). Outras três ficaram feridas, entre elas um policial militar, atingido por estilhaços.

Os feridos foram levados para o Hospital Salgado Filho, no Méier, na Zona Norte do Rio. Os nomes dos mortos não foram divulgados. Um outro ferido passou por cirurgia. Não há informações sobre o estado de saúde.

Os trens chegaram a ter a circulação interrompida na Estação Jacarezinho, do ramal de Belford Roxo da Supervia. A interrupção ocorreu por motivo de segurança dos passageiros e funcionários.

Às 6h45, uma das linhas do ramal voltou a operar após a Supervia verificar que nenhum tiro atingiu a rede aérea. A outra linha foi reberta às 7h15. A concessionária afirma que, desde o começo do ano, precisou alterar a circulação de trens por 57 vezes por causa de tiroteios na linha férrea.

Às 6h48, o Globocop flagrou o momento em que um PM agrediu um suspeito com um cascudo na cabeça. O comandante do Batalhão de Choque reprovou a postura e disse que ele será punido.

Em nota, a assessoria de imprensa da Polícia Militar informou que o policial está preso a disposição do comandante do Batalhão de Choque.

Suspeito é conduzido por policial na comunidade do Jacarezinho, no Rio — Foto: Reprodução/ TV Globo
Suspeito é conduzido por policial na comunidade do Jacarezinho, no Rio — Foto: Reprodução/ TV Globo

Tiroteios
Em redes sociais, moradores relataram os tiroteios na comunidade. A operação do Comando de Operações Especiais teve apoio do Batalhão de Choque e do Batalhão de Ações com Cães.

Até 6h45, duas pessoas haviam sido detidas. A PM pede ajuda da população para denunciar esconderijos de armas e drogas.

Um veículo blindado encontrou dificuldade de circular por conta das barricadas nas ruas. Os agentes foram obrigados a desembarcar para remover os obstáculos. Um helicóptero blindado também participava da ação.