Trânsito mata mais em Araçatuba do que em Rio Preto e Presidente Prudente

O trânsito em Araçatuba mata mais do que em São José do Rio Preto, Presidente Prudente e Araraquara. É o que revela levantamento feito pela reportagem de O LIBERAL REGIONAL no site do Infosiga, sistema de registro do governo do Estado de São Paulo. Proporcionalmente, morre mais gente no trânsito de Araçatuba do que em Bauru, outra importante cidade do noroeste paulista. A reportagem foi atrás para descobrir o que leva essas cidades a terem menos mortes no trânsito. A constatação já era a esperada: controle de velocidade por meio de radares, fiscalização eletrônica e obstáculos. Soma-se a isso, efetivo trabalho de fiscalização com agentes de trânsito. Em Araçatuba não há controle de velocidade. Isso mostra que há pouca preocupação da administração de Dilador Borges Damasceno com a segurança no trânsito e com a vida das pessoas. Números divulgados pelo Detran mostram também este aumento nas mortes na região de Araçatuba.

O levantamento feito pela reportagem mostrou que ao longo de 2019 foram registradas 19 mortes nas vias urbanas de Araçatuba, cidade com pouco menos de 200 mil habitantes. Já de janeiro a novembro de 2020 foram 17 fatalidades. Em Araraquara, cidade com mais de 238 mil habitantes, foram 24 mortes em 2019 e 12 em 2020. Bauru, com 380 mil habitantes, teve 27 mortes no ano passado e 22 de janeiro a novembro de 2020. Presidente Prudente, com mais de 230 mil habitantes, teve 27 mortes no ano passado e oito em 2020 e São José do Rio Preto, a maior cidade da região, com 470 mil habitantes, teve 42 mortes em 2019 e 14 em 2020. Em números absolutos, Araçatuba teve mais morte do que em todas as cidades maiores, exceção de Bauru. Os números referem-se às vias urbanas.

No entanto, para se ter um número real do que isso representa, a reportagem dividiu o número de habitantes pelo número de mortes. Os números surpreendem. Araçatuba registrou uma morte para 11.654 habitantes, Araraquara uma morte para 19.861 habitantes, Bauru equivale a uma morte por 17.40 habitantes, Presidente Prudente – 28.796 habitantes e São José do Rio Preto – 33.142 mil habitantes.

Enquanto em Araçatuba, conforme números informados pela Prefeitura, de janeiro a outubro, 33,5% das multas aplicadas era de estacionamento em desacordo com a regulamentação (zona azul) e 17,8% pelo não uso de segurança. Já nas cidades de São José do Rio Preto e Araraquara, aproximadamente 50% das multas referem-se a excesso de velocidade e em segundo lugar vem a não indicação do condutor pela empresa proprietária do veículo. Isso deixa claro que o controle de velocidade é fundamental para reduzir a violência no trânsito.