De quinta para sexta-feira (28), os casos suspeitos diminuíram de 85 para 66.

Os três familiares do homem infectado com coronavírus não estão mais sob suspeita de estarem contaminados. Os casos foram excluídos após exames laboratoriais, informou o secretário estadual de Saúde, José Henrique Germann Ferreira, no início da tarde desta sexta-feira (28). Esses familiares tiveram contato com o paciente contaminado no último domingo (23), em um almoço de família, após o homem retornar da Itália.

O morador de São Paulo, de 61 anos, infectado com coronavírus permanece em isolamento domiciliar e passa bem, informou a Secretaria Estadual de Saúde nesta manhã. O paciente retornou de Turim, no norte da Itália, na sexta-feira (21) e teve o diagnóstico confirmado na quarta-feira (26).

“O paciente está muito bem e sairá da quarentena assim que sair dos sintomas clínicos”, disse o médico infectologista David Uip.

A informação foi passada durante coletiva de imprensa nesta sexta-feira (28). David Uip ressaltou a importância de diminuir a expectativa da população em relação a disseminação do vírus. “Não é possível que nós consigamos evitar a transmissão de uma doença viral”.

De quinta para sexta, os casos suspeitos diminuíram de 85 para 66. Destes, 15 foram descartados laboratorialmente, 22 foram excluídos porque não preenchiam a critérios da OMS (febre, tosse ou coriza e que tenha passado por um dos países ou contato com caso confirmado) e 18 suspeitos novos foram incluídos.

Além dos 66 casos suspeitos a secretaria acompanha ainda 31 pessoas que são monitoradas apenas porque tiveram contato com o paciente confirmado. Antes, eram acompanhadas 34 comunicantes do paciente, mas o número diminuiu porque três deles fizeram exames que descartaram a existência do novo coronavírus.


O governo estadual informou que irá lançar uma cartilha de orientação e prevenção do coronavírus em cinco idiomas – português, inglês, espanhol, italiano e chinês – na versão impressa e eletrônica. Ela será distribuída a partir da próxima semana.

O estado irá liberar R$ 30 milhões em recursos para as ações de prevenção e informação. “Um dos fatores mais importantes é a comunicação para que a população possa ter tranquilidade, não ter pânico, principalmente as mães. Percebi um temor generalizado entre mães de crianças e adolescentes”, disse o governador João Doria.

Primeiro coronavírus do país
O morador de São Paulo vindo da Itália foi o primeiro caso confirmado de contaminação pelo coronavírus do Brasil. O paciente de 61 anos estava assintomático e, depois de alguns dias, apresentou sintomas respiratórios. Ele procurou o Hospital Albert Einstein que constatou a doença.

A confirmação da infecção por coronavírus foi feita pelo Einstein, que registrou a suspeita e fez um teste, que deu positivo. O caso foi para o Instituto Adolfo Lutz para contraprova, exame que foi concluído em três horas, confirmando o resultado. No domingo (23), o homem havia participado de uma reunião familiar, o que levou o Ministério da Saúde a colocar 30 pessoas que tiveram contato com ele em observação.