Eles haviam sido detidos, mas foram liberados por não terem sido pegos em flagrante após assalto

A Vara da Infância e da Juventude acatou pedido da Promotoria de Justiça e determinou a apreensão dos dois adolescentes que confessaram ter assaltado uma joalheria em um shopping de Araçatuba (SP), no último dia 19.

Eles foram detidos pela Polícia Militar na noite de quinta-feira (27) e, apesar de terem confessado o roubo, foram liberados por não ter ocorrido flagrante. Na ocasião, polícia não havia representado pela apreensão deles, apesar de o ato infracional ter ocorrido oito dias antes.

A reportagem apurou que a Polícia Civil só foi comunicada oficialmente do roubo na terça-feira (25), quando a dona da joalheria procurou a polícia para registrar o boletim de ocorrência.

Na ocasião, ela apresentou a relação dos objetos roubados, somando pouco mais de R$ 25.000,00. Esse registro foi encaminhado à DIG (Delegacia de Investigações Gerais) no dia seguinte.

A representação pela apreensão dos dois adolescentes pela polícia foi apresentada à Justiça na sexta-feira (28).

No domingo (30), o adolescente de 17 anos foi apreendido depois que a polícia descobriu a existência de um mandado de apreensão expedido pela Justiça de Fernandópolis, em abril. Ele foi encontrado em casa e apresentado no plantão policial.

O outro adolescente, de 15 anos, se apresentou à polícia também no domingo, após a mãe dele, uma manicure de 35 anos, ser presa por tentativa de homicídio.

Conforme matéria publicada no domingo (30) pelo Hojemais Araçatuba , ela ameaçou a vizinha com uma faca e incentivou o filho a atirar na vítima, que foi baleada no ombro.

A Promotoria da Infância e da Juventude recebeu nesta segunda-feira o pedido de internação dos adolescentes, representou pela custódia de ambos. Os dois foram ouvidos informalmente e custodiados.

No caso do de 17 anos, pelo ato infracional de roubo, e do de 15 anos, também pelo homicídio tentado.