O navio de transporte de carga ‘Thaís IV’ estava a aproximadamente 60 milhas náuticas (cerca de 111 quilômetros) de Cabedelo, na Paraíba, quando ocorreu o naufrágio.

Uma embarcação que seguia do Recife para Fernando de Noronha afundou na quarta-feira (22). O navio de transporte de carga Thaís IV estava a aproximadamente 60 milhas náuticas (cerca de 111 quilômetros) de Cabedelo, na Paraíba, quando ocorreu o naufrágio.

O acidente foi detectado às 4h30, quando a tripulação perdeu o contato com o continente e um equipamento de sinalização apontou problemas.

Confira, abaixo, o que se sabe e o que falta esclarecer:

Quem estava no navio?
Oito tripulantes estavam no navio, segundo informações da Marinha do Brasil. Até a última atualização das informações, às 18h de quarta, quatro tripulantes haviam sido resgatados “em bom estado de saúde”. Outros quatro tripulantes continuavam sendo procurados pela Marinha. Os nomes e idades deles não foram divulgados.

O que era levado na embarcação?

O Porto do Recife informou que a embarcação levava 100 toneladas de material diverso. De acordo com o dono do navio, Moacyr Luna, a carga levada ao arquipélago era de material de construção. Imagens enviadas para o g1 mostram a embarcação no mar com um carro em cima dela (veja vídeo acima).

O que fez o barco afundar?
A causa do acidente, segundo informações extra-oficiais, seria a falha em um equipamento de sinalização. No entanto, a Marinha não divulgou o que poderia ter provocado o naufrágio.

Qual o percurso feito pelo navio?
Segundo o Porto do Recife, a embarcação saiu do Recife em direção a Fernando de Noronha às 14h da terça-feira (21). A previsão era de que a chegada ocorresse por volta das 6h desta quinta-feira (23). Porém, por volta das 4h30 da quarta (22), a tripulação perdeu o contato com o continente.

Como buscas são feitas?
Segundo a Marinha, as buscas são realizadas com os navios patrulha Grajaú e Guaíba, subordinados ao Comando do Grupamento de Patrulha Naval do Nordeste, além de uma aeronave da Força Aérea Brasileira especializada em missões de busca e salvamento. Também foi deslocada para a área do naufrágio uma embarcação de transporte de carga.

Qual era o estado do navio?
Por meio de nota, o Porto do Recife informou que a embarcação de carga “Thaís IV’ costumava atracar no Porto do Recife a cada duas semanas para embarcar suprimentos para Fernando de Noronha e que, de acordo com o agente da embarcação, a manutenção da embarcação estava em dia e a carga não excedia o limite permitido.