Willian, do Corinthians, registra boletim de ocorrência por conta de ameaças nas redes sociais


O meia-atacante Willian, do Corinthians, registrou nesta quarta-feira um Boletim de Ocorrência no Departamento de Operações Policiais Estratégicas (DOPE), órgão de execução da Polícia Civil, por conta de ameaças que ele e sua família sofreram nas redes sociais nesta última terça-feira. A informação foi divulgada pelo GE e confirmada pela Gazeta Esportiva.

Depois do empate do Corinthians com o América-MG, a esposa do jogador registrou no Instagram mensagens com tom de ameaça e defendeu seu marido de críticas.

O atleta e suas filhas já foram alvos de ataques virtuais depois da derrota do Corinthians para o Always Ready, na derrota por 2 a 0 na estreia da Libertadores. O jogador vem sendo criticado por conta de seu desempenho recente dentro de campo. O Timão empatou os últimos cinco jogos somando todas as competições.

A Gazeta Esportiva entrou em contato com o delegado Cesar Saad, que disse que os próximos passos serão identificar os responsáveis e chamá-los para depor. Saad se mostrou confiante que os criminosos serão identificados.

“Corinthians é tiro, é bandido, facada, time de favela, de bagunça! Não é essa p* que tá aí não, cambada de marica! Ou joga por amor ou joga por terror! Já vai tarde, tem que ser homem em dobro para vestir nossa camisa, c*”, escreveu um dos torcedores marcando o atleta.

A reportagem apurou que o Corinthians não se manifestará publicamente antes de falar com o Willian. O treino da equipe está marcado para esta tarde, no CT Dr. Joaquim Grava.

Apesar do clima conturbado, o Willian não tem interesse e não tem propostas para deixar o Corinthians neste momento. Em entrevista à Gazeta Esportiva, o pai do jogador garantiu que a cabeça do filho está no Timão.

“Não existe nada disso (vontade de sair). Teve aqueles episódios de ameaça lá atrás, que aconteceu com Cássio e outros jogadores também, claro que não é legal, família fica assustada, mas já passou, já conversamos, tudo resolvido. Está tudo normal. A diferença é que não tinha janela perto e agora tem, aí o pessoal fica associando uma coisa com a outra”, disse Severino Silva.